| CRÍTICAS | Lion – A Longa Estrada Para Casa

Lion – A Longa Estrada Para Casa é baseado na história verídica de uma criança indiana que, depois de se ter perdido nos pais, foi adoptado por uma família australiana, tendo regressado ao seu país 25 anos depois para tentar (e conseguir) reencontrar a sua mãe. Com esta sinopse, sabemos ao que o filme vem e não há como o contornar. Mais valia venderem logo o DVD com uma caixinha de lenços de papel, porque isto é um melodrama de faca e alguidar.

O filme começa então com meia hora de favela-chique, como o Quem Quer Ser Bilionário mas sem os filtros do Danny Boyle, onde começamos por conhecer o jovem Saroo (um estreante Sunny Pawar), vemos como é que ele se perde do irmão e acaba sozinho na populosa Calcutá. Depois é adoptado por uma família australiana e, na segunda parte do filme, já é um adolescente totalmente integrado e a maior estrela de Hollywood da actualidade com raízes indianas, Dav Patel. Saroo tem tudo para ser feliz, mas não consegue esquecer a sua família biológica, ao mesmo tempo que não quer confrontar os seus país adoptivos, até porque a mãe, Nicole Kidman, já tem o suficiente com que se preocupar com aquele penteado(!).

Por entre o sentimento de culpa e pesquisas aleatórias no Google Maps, eis que entra em cena Rooney Mara, tornando tudo ainda mais aborrecido, sempre no mesmo rame-rame. Até que, meio ao calhas, Saroo descobre a aldeia onde vivia, coloca tudo em pratos limpos lá em casa e viaja para a Índia. A última parte aposta tudo no tearjerker e até vão buscar imagens reais, desmontando todo o dispositivo fílmico, porque o que lhe interessa realmente é capitalizar o drama humano do pobrezinho em que, no final, tudo está bem.

Lion – A Longa Estrada Para Casa parece que foi filmado em bocadinhos, como pequenos episódios de segundos, que depois alguém montou por ordem cronológica, numa qualquer linha de montagem de Hollywood. Não há nada que o distinga de tantas outros dramas baseados em casos reais, além do facto de ter algumas estrelas de Hollywood no elenco. Pelos vistos, isso é suficiente para capitalizar umas nomeações ao Oscar. Aqui, vale um Happy Meal e um brinquedo. Um brinquedo dos pequeninos e sem pilhas incluídas. Titulo: Lion
Realizador: Garth Davis
Ano: 2016

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *