| CRÍTICAS | Baby Driver – Alta Velocidade

O Orange, do Jon Spencer, é capaz de ter uma das melhores entradas de sempre da história do rock’n’roll. Começa com uma malha de guitarra e bateria com um violino por cima e vai demorando-se até que, no seu modo de pregador desvairado, ouve-se thank you very much, ladies and gentlemen, right now I got to tell […]

| CRÍTICAS | The Gambler

Existem vários tipos de professores. Há aqueles que inspiram os seus alunos a serem perseguirem os seus sonhos, a alcançarem os seus objectivos e a tornarem-se melhores pessoas, como o Robin Williams, em O Clube dos Poetas Mortos. E depois há aqueles como Mark Whalberg, em The Gambler, que diz aos seus alunos de literatura que, […]

| CRÍTICAS | Ela é Fácil

Foi com Ela É Fácil que Emma Stone se tornou Emma Stone, ou seja, que se tornou na nova namoradinha da América, capaz de ser tanto a namorada do Homem-Aranha quanto a vencedora de Oscares, em vez de ser apenas mais uma simples cara bonita destinada a teen movies patetas e seus quejandos. O que […]

| CRÍTICAS | The Meyerowitz Stories (New and Selected)

Agora que rebentou toda a história de Harvey Weinstein-predador sexual, é uma boa altura de falar do outro flagelo que o seu legado nos deixou: a autonomização do indie como um género próprio, trazendo para o mainstream uma certa forma alternativa de fazer cinema. Esse indiewood fez com que vários autores independentes entrassem também eles numa […]

| CRÍTICAS | Chappie

Depois do pouco entusiasmante Elysium, Neill Blomkamp resolveu voltar a baralhar e dar de novo. Para isso, regressou às origens, ou seja, à sua África do Sul natal, e realizou Chappie, mais um pouco habitual blockbuster ambientado nas ruas de Joanesburgo. E desta vez pode não haver uma metáfora ao apertheid e à sua sociedade […]

| CRÍTICAS | Gerald’s Game

Com todo o hype em redor de It, passou quase despercebida a estreia de outra adaptação de um livro de Stephen King, Gerald’s Game. E, sem desprimor para o remake do filme do Pennywise, este Gerald’s Game – mais uma produção Netflix – merece muito mais atenção. Jessie (Carla Gugino) e Gerald (Bruce Greenwood) tiram então um fim-de-semana […]

| CRÍTICAS | Victoria e Abdul

O realizador Stephen Frears já te tinha atirado à família real inglesa antes – com o biopic da rainha Elizabete II sobre o day after à morte da princesa Diana, em 1997 (mas que continua a parecer que foi ontem), pertinentemente chamado A Rainha. Também Judi Dench já tinha feito de rainha Victoria, em Sua […]

| CRÍTICAS | Our Souls at Night

A Netflix, na sua nova produção Our Souls at Night, promove um reencontro improvável: o de Robert Redford e Jane Fonda. Esta é a quarta vez que acontece, mas é improvável porque a última vez que acontecera foi já há mais de 35 anos(!). Lembram-se de O Cowboy Eléctrico? O realizador Ritesh Batra assina aqui uma […]