| CRÍTICAS | Polícia Demolidor

Faz-me espécie que Polícia Demolidor não seja um filme mais recordado e celebrado. É que este é a única aventura de Chuck Norris no mundo do paranormal e aquela em que ele enfrenta a mais terrível ameaça de todas: o próprio Anticristo(!). Ou será que é ao contrário? É que assim que leva um rotativo pelas trombas, o demónio deixa logo de fazer farinha. E, se depois de lerem que neste filme o Chuck Norris dá rotativos no Anticristo, não ficarem com vontade de deixar de fazer o que quer que seja que estão a fazer e irem vê-lo imediatamente, então meus amigos, algo de errado se passa convosco.

Polícia Demolidor foi o último filme da Canon – esse colosso do cinema xunga – antes de falir, o que explica muita coisa. No entanto, apesar do claro aspecto de baixo orçamento, o filme até tem alguns valores de produção. E, para mais, grande parte da história passa-se em Israel, além de começar com uma reconstituição histórica do tempo das cruzadas que não ofende ninguém. Mas como é que os caminhos de Chuck Norris e do Anticristo se cruzam nesta banhada?

Ora bem, Chuck Norris é um polícia de Chicago que vai investigar os estranhos assassinatos violentos de rabis e padres, dando de caras com o enviado de Belzebu, que procura recuperar todos os pedaços do seu ceptro do poder, séculos depois de ter sido destruído por Ricardo Coração de Leão. Seguindo os moldes do buddy movie – em que o parceiro de Chuck Norris é a coisa mais irritante de sempre, fazendo-nos ter saudades do Chris Rock no Arma Mortífera 4 -, Aaron Norris deixa umas pistas pelo caminho com a mesma subtileza com que um elefante se mexe numa loja de porcelana e leva a sua avante.

Se no campo do policial, Aaron Norris recorre a todos os clichés possíveis e imaginários, alguns deles com grande ingenuidade, é no campo do paranormal que marca todos os pontos. Principalmente graças ao vilão, um assustador e perturbador Christopher Neame, de voz cavernosa, unhas à Nosferatu e uma cara de meter medo ao susto. Depois, o realizador usa uns cantos gregorianos, copia uns planos cheios de sombras do expressionismo alemão e, voilá, temos o mais inesperado filme de Chuck Norris de sempre.

Tão mau que se torna bom é um argumento demasiado batido, mas que faz todo o sentido num filme cheio de lugares-comuns. E, volto a repetir, Polícia Demolidor é o filme em que Chuck Norris dá rotativos pela cara do Anticristo. Se isto não é suficiente para um McBacon então não sei o que será.

Título:  Hellbound
Realizador: Aaron Norris
Ano: 1994

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *