| CRÍTICAS | Pára-me de Repente o Pensamento

O Centro Hospitalar Conde de Ferreira, no Porto, é uma conhecida unidade clínica na área da saúde mental. Foi construído de raiz para o efeito no ido ano da graça do Senhor de 1883 e, pelas suas instalações, passaram vários utentes entre anónimos e conhecidos, como é o caso do poeta Ângelo de Lima (autor de um poema chamado Pára-me de repente o pensamento. Estão a ver onde é que isto vai parar, não estão?). Além do tratamento terapêutico e clínico, o centro hospitalar funciona ainda como centro de dia para doentes com vários tipos de demência.

O realizador Jorge Pelicano, conhecido pelos seus documentários intensos, atira-se a mais uma experiência imersiva ao saltar para o lado de dentro do hospital Conde de Ferreira para retratar o dia-a-dia daqueles utentes. Ao se transformar num deles, o realizador abandona qualquer abordagem mais paternalista ou condescendente, captando-os na intimidade e nas rotinas diárias, nos seus diálogos e monólogos e nos seus pensamentos e ideias.

É um documentário extremamente observador, que ganha a intimidade das suas personagens para se aproximar deles e, apesar dos planos cuidados e formais, ter enorme naturalidade. Pára-me de Repente o Pensamento está para o documentário na área da saúde mental assim como Voando Sobre um Ninho de Cucos está para a ficção sobre o mesmo tema.

Depois entra em cena Miguel Borges. O actor torna-se também residente do centro hospitalar, com uma dupla função: participar numa peça que os utentes estão a ensaiar, declamando o tal poema de Ângelo de Lima que dá título ao documentário; e escrever ele próprio uma peça para o futuro. Ao introduzir essa nova peça na engrenagem, Jorge Pelicano muda as dinâmicas do filme, para o bem e para o mal. Para o bem, porque permite passar a questionar directamente os utentes sobre determinados temas, penetrando ainda mais no seu íntimo; para o mal porque, se calhar, preferíamos ver mais aquelas pessoas no seu quotidiano.

Pára-me de Repente o Pensamento vive então neste equilíbrio entre dois filmes, o que é e o que queríamos que fosse. E se mesmo assim é um dos grandes documentários portugueses de que nos lembramos, imaginem o que seria se fosse diferente. Sem dúvida, algo ainda maior que o McRoyal Deluxe.Título: Pára-me de Repente o Pensamento
Realizador: Jorge Pelicano
Ano: 2014

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *