| CRÍTICAS | Katyn

katyn_dvd_guzik

Com a morte de Andrzej Wajda, nada com reavivar a memória de um dos últimos clássicos e recuperar Katyn, o seu último filme a ser nomeado a um Oscar e que, no ido ano da graça do senhor de 2008, teve honras de abertura do saudoso Festróia. Vamos ter saudades de Wajda, mas temos também muitas saudades do festival de cinema de Setúbal…

Quando se fala em genocídios polacos toda a gente refere automaticamente Auschwitz, mas poucos são os que já ouviram falar do Massacre de Katyn. Este filme, homónimo, faz o esforço estóico de perpetuar a memória daqueles que pereceram às mãos dos soviéticos em 1940, quando cerca de 22 mil polacos foram executados a sangue-frio pelo exército da União Soviética, num crime que foi ocultado e negado até 1990. E que hoje ainda comporta muitos fantasmas à sua volta.

Katyn é então um exorcismo, que reconstrói a Polónia pré e pós Segunda Guerra Mundial. Foram décadas terríveis para os polacos, uma época de desilusão, sem qualquer ambição ou esperança e com um futuro incerto. Essa situação é simbólica e exemplarmente representada na cena inicial do filme: centenas de fugitivos polacos atravessam uma ponte para fugir aos invasores alemães, apenas para darem de caras com os invasores soviéticos na outra extremidade do rio. O literal caso de entre a espada e a parede.

postmortem_070106_2505_pb

Katyn é então um filme negr(íssim)o, sem qualquer réstia de esperança: uma sequência de tragédias, com o massacre como situação central do dramático teatro de guerra, que se desenvolve por várias décadas, em redor de quatro gerações de duas famílias polacas. Infelizmente, esta profusão de personagens e de avanços temporais constantes tornam o filme confuso a determinado momento. Além disso, são demasiados os subenredos que não permitem que nenhum deles se desenvolva profundamente.

Com uma reconsituição histórica exemplar, Katyn é um filme para o qual é necessário arcaboiço para aguentar tanta tristeza de seguida e uma arrepiante matança do porco no final. Tristeza a mais para um filme tão certinho e arrumadinho. Veredicto final: McChicken!mcchickenTítulo: Katyn
Realizador: Andrzej Wajda
Ano: 2007

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *