| CRÍTICAS | Chevalier

Biologicamente falando, em todos os grupos surge o denominado membro alfa. Este é o indivíduo que se destaca dos demais, exercendo um ascendente sobre os restantes, normalmente através da violência, da competição ou de outras ferramentas sociais. Também normalmente esta posição é assumida por um macho, se bem que não necessariamente.

Esta breve introdução serve para introduzir Chevalier, o filme em que seis homens estão numa viagem de férias num barco ao largo de Atenas. E como bons espécimes masculinos que são – muito machos, muito viris… – vão tentando exercer o seu ascendente alfa sobre os restantes. Essa competição começa timidamente, vai tonando-se cada vez mais comum, até que o grupo assume: vamos decidir quem é o melhor de todos em todas as coisas. E começam a competir sobre tudo. Literalmente! Incluindo quem tem a pila maior. E não, também aqui não é nenhuma metáfora.

É este o novo filme de Athina Rachel Tsangari, um dos rostos do emergente novo cinema grego, que descobrimos com o estranho Attenberg. E tal como esse, que fazia uma tangente aos documentários naturais de Sir David Attenbourough, Chevalier também é uma metáfora sobre o comportamento humano, sobre a interacção social entre as pessoas e sobre…, bem, sobre ser homem. Chevalier podia muito bem ser uma das enésimas comédias anónimas de Will Farrell ou Adam Sandler, mas que, enquanto que nestes casos seria exagerada até ao limite da irrisão, aqui é feita à boa maneira minimal grega (viram A Lagosta?). Ou seja, de forma absurda e bizarra.

Tal como os outros filmes desta vaga de cinema grego que temos visto nos últimos anos, certamente que poderemos ver ainda em Chevalier uma qualquer metáfora para com a situação da crise da Grécia. Não sei bem como, mas de certeza que está lá, alguém há de a encontrar. O que sei é que Chevalier é bem mais interessante e divertido que Attenberg, filme que era claramente desiquilibrado. Um McRoyal Deluxe que, nesta crise financeira grega que corre, vale bem os olhos da cara.Título: Chevalier
Realizador: Athina Rachel Tsangari
Ano: 2015

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *