| CRÍTICAS | Homenzinhos

Em O Amor é Estranho, o filme anterior de Ira Sachs (que demorou, inexplicavelmente, dois anos a estrear cá), haviam dois seniores que tinham que recomeçar de novo as suas vidas, depois de ficarem sem a sua casa. No seu novo Homenzinhos existem, por sua vez, dois miúdos, que se tornam melhores amigos depois do primeiro mudar de casa para perto do segundo. Apesar da diferença de idades, ambos são os lados da mesma moeda. O que têm em comum então? Ambos chocam de frente com a vida.

Ira Sachs é uma espécie de Woody Allen mais meodramático. Um contador de histórias que se coloca ao total dispor dos seus argumentos, desaparecendo quase anonimamente por trás dos seus actores. São filmes independentes, que se limitam a narrar vidas normais com pessoas reais lá dentro, com as quais é fácil nos identificarmos porque podiam muito bem ser o nosso vizinho da frente ou o tipo com quem nos cruzamos todas as manhãs na pastelaria onde paramos para beber café.

Homenzinhos é uma história juvenil sobre as dores de crescimento. No entanto, ao contrário daquelas histórias juvenis onde os adultos nem sequer aparecem ou não têm rosto (olá Charlie Brown), aqui não só têm cara como também nome e um importante papel no desenrolar dos acontecimentos. Aliás, são eles próprios os catalisadores da história. O avô de Theo Taplitz morre e os seus pais herdam a sua casa, para onde se decidem mudar. No entanto, como a vida não está fácil, vão ser obrigados a aumentar a renda da loja do rés-do-chão, mas cujo aumento é incomportável para a modista Paulina Garcia. No meio disto tudo, os filhos de ambas as famílias que entretanto se tornam bff são apanhados no fogo-cruzado de uma guerra que não pediram, terminando tudo num inesperado coming of age.

E são precisamente os miúdos – o já mencionado Theo Taplitz e Michael Barbieri -, que aqui se estreiam, o principal achado de Homenzinhos. Ambos ganham o filme sozinhos, antecipando aquilo que pode vir a ser uma carreira muito interessante. Para quem tiver dúvidas quanto ao entusiasmo deste parágrafo, basta ir ver a cena em que Barbieri está numa aula de representação com Mauricio Bustamante. A partir daqui fica o caminho livre para o McRoyal Deluxe.Título: Little Men
Realizador: Ira Sachs
Ano: 2016

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *