| CRÍTICAS | O Ilustre Cidadão

No dia em que recebeu o prémio Nobel da Literatura, o escritor argentino radicado em Barcelona, Daniel Mantovani (Oscar Martínez) anunciou logo no seu discurso em Estocolmo que punha um ponto final na sua carreira. Afinal de contas, como é que um artista, que cria que o papel da arte é questionar e provocar, poderia ultrapassar a unanimidade do reconhecimento global de um prémio como esse?

Ao viver uma espécie de crise existencial, Daniel Mantovani decide aceitar o convite da sua cidade natal, Salas, e voltar à terra de onde partiu para nunca mais regressar há mais de três décadas atrás. Mantovani nem sequer regressou para enterrar o seu pai. E agora vai ser condecorado e receber o título de Cidadão Ilustre de Salas. Por isso, estamos mesmo a ver aonde vai O Ilustre Cidadão um filme sobre uma viagem que, mais importante que o percurso físico, é a transformação psicológica e simbólica daquele homem.

Habituado a outras lides, Daniel Mantovani vai começar por se sentir um estranho na sua própria casa, uma terra que já não reconhece como sua, seja nos anúncios kitsch na televisão, nos programas de rádio de baixo orçamento ou nos hábitos e costumes daquela gente simples. Daniel está na Argentina da mesma forma que Bill Murray se perdia no Japão, em Lost in Translation – O Amor é um Lugar Estranho. No entanto, há medida que vai reencontrando amigos, a ex-namorada e visitando antigas memórias, Daniel começa a embrenhar-se num thriller psciológico perturbador. Afinal de contas, desde Fim-de-semana Alucinante que sabemos que os saloios locais são os mais perigosos de todos. E David Lynch passou uma carreira a mostrar-nos que a normalidade é apenas aparente.

Os realizadores Gastón Duprat e Mariano Cohn montam uma espécie de comédia humana num filme algures entre o realismo naturalista e uma espécie de absurdo que faz lembrar Buñuel. E quando menso esperamos, entra no território da metareferenciação, deixando o final em aberto e encostando-o a um dos grandes títulos do ano passado, Animais Nocturnos. O Ilustre Cidadão pode não vir a ser um dos filmes deste ano, mas o seu McRoyal Deluxe é sem dúvida um dos mais inesperados.

Título: El Ciudadano Ilustre
Realizador: Gastón Duprat & Mariano Cohn
Ano: 2016

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *