| CRÍTICAS | 120 Batimentos por Minuto

Em 1989 surgia em Paris a associação Act Up que, à semelhança da sua congénere norte-americana, pretendia reivindicar uma maior prevenção e sensibilização para a epidemia da sida, que fazia da França o país mais afectado do continente europeu. Robin Campillo juntou-se ao movimento em 1992 e agora, quase 30 anos depois, realiza um filme baseado nesses tempos de activismo, escrito a meias com Philippe Mangeot, que foi presidente da Act Up durante a década de 90.

120 Batimentos por Minuto abre com uma reunião do grupo e nós, espectadores, estamos sentados na parte de trás do auditório (onde está colocada a câmara) com quatro novos elementos que assistem pela primeira vez a um encontro da Act Up. Começamos por ouvir as regras de participação, depois entram os restantes elementos na sala e a reunião começa. A partir daí somos mais um activista naquela luta pelos direitos dos seropositivos, em dar corpo e voz a jovens que estavam a morrer e que ninguém parecia querer verdadeiramente saber.

120 Batimentos por Minuto podia ser uma reconstituição de época (lembramo-nos de Milk, por exemplo) ou um filme activista de agit-prop, mas tem demasiado sangue na guelra para se limitar a isso. E aí vê-se que foi feito por alguém que esteve lá, viu e lutou por aqueles mesmos objectivos e que quis mostrar o que isso significou para aquelas pessoas. E é isso que se vai condensar nas personagens de Nathan (Arnaud Valois) e Sean (Nahuel Pérez Biscayart), que se assumem como protagonistas desta história colectiva.

Quando falamos de filmes e de sida lembramo-nos quase imediatamente de Filadélfia. Contudo, apesar da semelhança temática, o filme de Jonathan Demme não podia ser mais diferente de 120 Batimentos por Minuto. Enquanto que esse é um drama de faca e alguidar, quase paternalista, este é um filme reivindicativo, pro-activo e, de certa forma, provocador. Tal como eram as acções da Act Up. E é logo por aí que 120 Batimentos por Minuto começa por sair vencedor e a empanturrar-se num McBacon.

Título: 120 Battements par Minute
Realizador: Robin Campillo
Ano: 2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *