| CRÍTICAS | Uma Boa Dose de Sexo

Fazer um filme sobre a temática da adição ao sexo parece uma boa ideia, já que, tirando as piadas que toda a gente faz inconscientemente do tema, ninguém sabe muito sobre o que é ser viciado sexual. Basta ver como a tradução portuguesa deste Thanks for sharing é logo um engraçado Uma Boa Dose de Sexo, a que só lhe falta a careta divertida no final à Malucos do Riso. Até conseguimos ouvir as risadinhas dos responsáveis depois de terem tido esta ideia que todos consideraram, no mínimo, genial.

Com um elenco vasto, Uma Boa Dose de Sexo apresenta três protagonistas que representam, cada um, uma diferente fase dos viciados em sexo. Tim Robbins é o experiente, que soube conciliar a sua doença com a vida pessoal (apesar de um ressentimento ainda por resolver com o filho toxicodependente, um miscast de Patrick Fugit), e serve quase como farol de orientação para os outros; Mark Ruffalo é o recém-recuperado, que ainda procura adaptar-se à sua nova vida, e que vai encontrar na nova namorada (Gwyneth Paltrow) o primeiro grande teste; e Josh Gad, o Jonah Hill dos pobres, é o tipo que ainda não aceitou a doença e recusa ver que está doente. Felizmente, Pink (essa mesmo, a cantora) vai ajudar a abrir-lhe os olhos.

Uma Boa Dose de Sexo vai acompanhando uns e outros à vez, sem dar muita atenção a nenhum em particular e pegando em tudo pela rama. É uma espécie de viciados em sexo para totós. Talvez essa pouca seriedade seja a razão pela qual os tradutores do título para português não tenham levado também a sua tarefa com grande importância.

À medida que o filme se aproxima para o final, vai-se preocupando cada vez mais em empilhar todos os clichés possíveis do género, para que no final os resolva a todos e o final feliz possa ser, ao mesmo tempo, uma lição de moral para todos eles (e para nós, em consequência). Mais formulaico era impossível. Ao menos não força o tearjerker e isso é o que o impede de ser esquecível de todo e ainda lhe dá uma Sandocha de Choco para a bucha. Entretanto, para assuntos mais sérios, é ver Vergonha.

Título: Thanks for Sharing
Realizador: Stuart Blumberg
Ano: 2012

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *