| CRÍTICAS | Inheritance

O texto seguinte contém spoilers

Em 2003, um homem é raptado e fechado num quarto, onde passa 15 anos isolado, enquanto lhe servem comida por um buraco na porta e onde descobre que é o principal suspeito pela morte da mulher. Era Oldboy – Velho Amigo, filme do sul-coreano Park Chan-Wook que chegava com estrondo e não deixava ninguém indiferente.

Em 2020, o pai de uma família abastada morre e deixa de herança à filha uma chave e um segredo. A chave abre a porta de um alçapão no quintal da mansão e, lá dentro, Lily Collins descobre um homem acorrentado pelo pescoço. É Simon Pegg, antigo amigo do seu falecido pai, colocado lá dentro de pelo próprio. O filme é Inheritance, de Vaugh Stein, que chegou de mansinho, mas também não deixou ninguém indiferente. Mas pelos piores motivos.

A premissa de Inheritance não é má, mas não é fácil sustenta-la. Afinal de contas, como é que se mantém um homem acorrentado num bunker no jardim durante trinta anos sem que ninguém descubra? Lily Collins, a mais famosa procuradora geral (e irmã de um político prestes a ser reeleito), recebe o testemunho do pai e tem que decidir o que fazer com aquele tipo. Infelizmente, os buracos no argumento serão tão grandes que o próprio Simon Pegg poderia te-los usado para escapar.

Lily Collins vem de uma daquelas famílias que adivinhamos estar cheias de esqueletos no armário: ricos, metidos na política, na justiça e nos bancos. Cheia a esturro por todo o lado. E a abertura é mesmo o melhor de Inheritance, com Vaughn Stein a condensar todo este background num prólogo muito bem editado, que nos deixa logo emacia no ambiente em que nos vamos movimentar nas próximas duas horas.

O problema é que Vaighn Stein (e a protagonista, Lily Collins) tomam sempre a piro decisão, o que faz com que a premissa rapidamente se desmorone por ali abaixo. E Simon Pegg, cheio de perucas e cara de fome – ele que perdeu vários quilos para se preparar para este seu primeiro papel dramático a sério – não tem qualquer hipótese de fazer o que quer que seja para salvar o filme.

No final, termina ainda tudo com mais um twist desesperado e muitos tiros sem nexo. E Lily Collins, que passa o filme todo a tentar decidir o que fazer com aquele homem, nunca se lembra de ir ao google pesquisar pelo seu nome, falta ao recital da filha sem justificação e ninguém acha estranho e deixa passar em branco o julgamento da sua vida porque… sabe-se lá porquê. Tudo isso por causa de uma Hamburga de Choco? No way, Jose.

Título: Inheritance
Realizador: Vaughn Stein
Ano: 2020

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *