| CRÍTICAS | É Sempre a Mesma Cantiga

Em França existe uma regra não escrita, uma espécie de acordo tácito, que diz que um realizador para ser respeitado e ganhar credibilidade tem que fazer pelo menos um musical. A culpa é de Jacques Demy e, principalmente, do seu Os Chapéus de Chuva de Cherburgo. Por isso, Alain Resnais decidiu ir picar o seu ponto em 1997, com É Sempre a Mesma Cantiga, logo a seguir ao seu sucesso comercial Fumar/Não Fumar.

É Sempre a Mesma Cantiga é uma espécie de filme-coral, em que seis personagens de forma mais ou menos aleatória acabam por se cruzar: uma burguesa capitalista e sexualmente frustrada (Sabine Azéma), o seu marido submisso, que sonha em troca-la pela amante (Pierre Arditi), a irmã da primeira a tirar uma tese de mestrado que nem a própria quer saber (Agnés Jaoui), o namorado desta que é um agente imobiliário sem escrúpulos (Lambert Wilson), um empregado que este despreza mas que ama a irmã (André Dussollier) e um amigo da primeira mulher, que anda numa busca incessante por casa, que adia da mesma forma que adia o fim do seu casamento (Jean-Pierre Bacri). No fundo, É Sempre a Mesma Cantiga é um filme sobre relações condenadas, que é meia-comedia alla italiana, meia comédia de costumes.

Só que depois há o plot twist. Do nada, os actores desatam a cantar, como na boa tradição do musical clássico. A diferença é que o fazem num karaoke assumido, com um lip sync perfeito. E o contraste entre a chanson popular com a seriedade das situações cria um sentimento de estranheza que é como a Coca-Cola: primeiro estranha-se, depois entranha-se.

Só que as canções vão surgindo de forma esporádica e aleatória. Muitas vezes ficamos cenas e cenas sem música e, de repente, sai uma com duas ou três cantigas de uma só vez. Essa falta de método faz com que esse karaoke seja mais um gimmick do que realmente um dispositivo ao serviço da narrativa. E é isso que retira força a um conjunto de histórias light, apesar de terem o coração cheio e no sítio certo. Resnais teve melhores Cheeseburgers.

Título: On Connait la Chanson
Realizador: Alain Resnais
Ano: 1997

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *