| CRÍTICAS | Calabria

calabria_poster

Um português e um sérvio na Suiça vão levar de carro um morto italiano para casa. Parece o início de uma anedota, mas não é. É a sinopse de Calabria, o documentário de Pierre-François Sauter que venceu a competição oficial do Doclisboa deste ano e que, apesar de ser uma produção exclusivamente suiça, acaba por ter uma ligação próxima a Portugal.

É que um dos protagonistas do filme é José Russo Baião, um português que trabalha numa agência funerária na Suiça. E o que tem José em comum com o sérvio Jovan Nikolic? Absolutamente nada, excepto o facto de trabalharem no mesmo local. Ambos são destacados para levarem então o cadáver de um emigrante italiano para a sua Calábria natal, numa viagem de um par de dias.

8-calabria-photo

Calabria é, portanto, um road movie que, como todo os filmes do género, o que interessa não é o destino, mas sim a viagem. O realizador Pierre-François Sauter liberta-se de qualquer convenção documental e filma quase como se Calabria fosse ficção. Começa por documentar aquele rituais de morte que acontecem nas funerárias normalmente longe do olhar do público e depois embarca em viagem com aquele português e aquele sérvio. Não há cá narradores ou cabeças falantes, ferramentas habituais no documentário. Há só observação directa e duas câmaras fixas no carro, com uma fotografia impecável.

Tornamo-nos então em mais um passageiro daquela viagem, em que Sauter transforma aquele automóvel num divã freudiano, onde José e Jovan discutem sobre a amizade, sobre a sua cultura ou sobre música, já que Jovan, prezando as suas raízes ciganas, canta e toca viola nas horas. Calabria torna-se ainda numa inesperada reflexão sobre a emigração, abordando todos os temas com a maior naturalidade possível e sem qualquer pinga de condescendência. É esse o seu grande trunfo, a forma honesta como capta a relação entre aqueles dois homens que, diga-se, são também bastante castiços e que contribuem amiúde para não querermos abandonar aquela viagem. O filme vencedor do Doclisboa deste ano é assim um McRoyal Deluxe em que o humor, a amizade, a vida e a multiculturaidade se entrelaçam em doses iguais.mcroyal-deluxeTítulo: Calabria
Realizador: Pierre-François Sauter
Ano: 2016

One thought on “| CRÍTICAS | Calabria

  1. Pingback: | LISTAS | Os 5 melhores filmes de 2016 que não passaram nos nossos cinemas | Royale With Cheese

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *