| CRÍTICAS | Finders Keepers

Nos últimos tempos, graças a festivais como o Sundance e a plataformas como o Netflix, temos assistido a uma série de documentários… digamos, especiais. Documentários sobre temas alternativos e não tão sérios, mas nem por isso menos interessantes. Mas sempre a lembrarem-nos da máxima mais importante de todas: a realidade ultrapassa sempre a ficção.

Depois do brilharete em Sundance, Finders Keepers tem-se assumido como um dos documentários favoritos do Netflix, provando aquio que quis dizer no parágrafo inicial. Este filme realizado a duas mãos, entre Bryan Carberry e Clay Tweel, conta a história de dois homens que lutam pela posse de… um pé(!). Sim, leram bem, um pé humano!

O pé pertencia a John Wood, um tipo que teve que amputar a perna por causa de um acidente de aviação, em que morreu o seu pai também. Depois de ter perdido tudo, tentando compensar o vazio deixado pela figura paternal com álcool e droga, John Wood deixou os seus pertences num armazém, que acabou por ser licitado por um caçador de leilões daqueles que vemos naqueles reality shows do Discovery. Shannon Whisnant é um saloio espertalhão que fica assim na posse de um pé(!) e que fica a adorar a publicidade gratuita. Até que John Wood regressa e reclama a posse do pé. E agora, quem tem razão? Como resolver um imbróglio que, legalmente, não podia estar num vazio maior? Nada mais nada menos que [spoiler alert] levar tudo ao Juíz Decide.

A história já é, por si só, suficientemente bizarra para convencer qualquer pessoa a ver Finders Keepers, mas, como todos sabemos, o melhor da América é o americano. E tanto John Wood como Shannon Whisnant são dois espécimes geniais desta raça humana muito particular. O primeiro é um loser, com uma mãe distante que diz coisas como I don’t love him, I just like him e que coloca todas as suas esperanças naquele pé que amputou, como se não pudesse continuar com a sua vida até recuperar aquela parte do seu corpo e completar-se; e o segundo é um redneck que adora a fama, quanto mais trashy melhor, e que diz coisas como provavelmente já repararam que tenho um grande olho para o negócio.

Obviamente que os realizadores não têm aqui propriamente material para fazerem um filme de hora e meia e, por isso, Finders Keepers repete-se aqui e acolá, como se tivesse a chover no molhado. Mas o filme já está ganho logo quando lemos a sinopse. Afinal de contas, que outra oportunidade vamos ter de ver um pé decepado verdadeiro, completamente mumificado pelo tempo em que dois tipos loucos andaram a gastar meios e fundos para ver quem seria o seu legal detentor? Um McBacon para colocar na prateleira dos documentários bizarros.Título: Finders Keepers
Realizador:  Bryan Carberry & Clay Tweel
Ano: 2015

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *