| CRÍTICAS | Golpe de Vingança

Golpe de Vingança, que é o título em português de Kickboxer, é um dos mais épico filmes de Jean-Claude Van Damme, mas será para sempre recordado como aquele em que o Muscles from Brussels dançou o Despacito. Graças ao 9gag, às redes sociais e aos memes (e aquele vídeo no youtube em que, no Brasil, ao tentar imitar os mesmos passos de dança com uma dançarina brasileira, Van Damme fica de pau feito), Golpe de Vingança é muitas vezes reduzido a essa cena. O que é pena, porque há mais, muito mais!

No entanto, à partida, Golpe de Vingança é mais um flick à Van Damme, com a tradicional trama em que alguém lhe magoa um membro da família e ele vai vingar-se. Neste caso é o irmão, campeão de kickbox (interpretado por Dennis Alexio, campeão da modalidade na vida real), que vai até à Tailândia cheio de bazófia enfrentar o campeão local e volta de lá numa cadeira de rodas. Afinal de contas, está no país que inventou o muay thai, não é? Van Damme, que até era para ser veterinário ou advogado, fica por lá, conhece um veterano do Vietname (Haskell V. Anderson III) e, com a ajuda deste, vai conhecer o mestre Xian Chow (Dennis Chan), que o vai treinar na arte milenar (sic) do boxe tailandês.

É a partir daqui que arranca verdadeiramente Golpe de Vingança, com Van Damme, o ocidental, a submeter-se à tradição ancestral do antigo mestre das artes marciais, que o treina de forma pouco ortodoxa. Sim, não há grande diferença entre Golpe de Vingança e Karate Kid – Momento da Verdade para lá do facto deste se levar mais a sério. E o treino do belga é todo ele um compêndio de cinema xunga.

Vão haver cocos atirados de cima de palmeiras para cima da sua barriga, as pernas atadas e abertas até aos limites da espargata e muitas sessões a esquivar-se de paus em chama. À partida, tudo isto parece irrelevante para um treino de kickbox (da mesma forma que encerar um carro – wax on, wax off – o parecia a olhos destreinados), mas durante a luta final com o terrível Michel Quissi (um dos melhores vilões de sempre dos filmes de Van Damme, voltando a repetir o papel no também mui interessante O Legionário) todos esses truques vão revelar-se essenciais. Mas claro que o grande momento do treino é quando o mestre Xian Chow o leva a um bar, o embebeda com shots de aguardente, mete-o a dançar o Despacito com duas gaiatas e atiça-lhe todos os mânfios que lá estavam. Quem nunca o fez para treinar para um campeonato do mundo de artes marciais que atire a primeira pedra.

Os créditos do filme anunciam com pompa e circunstância que todas as cenas de porrada foram coreografadas e realizadas pelo próprio Van Damme. Infelizmente, essa é a grande pecha do filme, já que essas sequências parecem montadas em câmara lenta, longe do tom épico de todo o resto de Golpe de Vingança. É que, de resto, está lá tudo. Tempo para o belga dar uma lengada com a mocinha do filme (a bela neta do mestre, Rochelle Ashana), treinar ao som de uma power ballad bem datada dos anos 80 numa bela montage e prestar homenagem aos filmes de kung fu de Hong Kong, com uma sessão de treino nas ruínas de uma cidade ancestral tailandesa ao pôr-do-sol, enquanto tem visões de guerreiros tailandeses e uma águia (belo simbolismo) o observa. Grande, grande McBacon e uma das obras-primas do Muscles from Brussels.

Título: Kickboxer
Realizador: Mark DiSalle & David Worth
Ano: 1989

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *