| CRÍTICAS | In the Tall Grass

Stephen King há muito que é o autor vivo com mais obras adaptadas ao cinema. Só este ano foram já 4, se contarmos com o remake do Samitério de Animais. E com a Netflix, o número promete continuar a subir exponencialmente. Por um lado, a Netflix encontra no escritor uma fonte inesgotável de argumentos prontos a adaptar ao pequeno ecrã a baixo custo para alimentar a sua fonte de streaming; e, por outro, King continua a engordar a sua conta bancária.

Depois de 1922 e Jogo Perigoso, eis mais uma produção Netflix a partir de um livro do mestre da literatura fantástica Stephen King. Desta vez é In the All Grass, pequeno conto que coloca um miúdo, os seus pais (entre eles Patrick Wilson, a cara mais reconhecível do elenco), um casal de irmãos e o namorada desta perdidos irremediavelmente num campo de erva alta. Contudo, como estamos a falar de King, a coisa não é tão simples assim. Há uma pedra gigante com umas runas misteriosas e o campo parece estar sempre a girar, tornando-se num labirinto impossível de escapar. E não é só o espaço que se move, também o tempo é circular dentro da erva alta.

Vincenzo Natali, que certa vez colocou uma série de pessoas num cubo gigante e fez um filme do catano, parecia assim o realizador ideal para esta adaptação. Ele, que tem andado meio desaparecido, sempre foi um autor super-conceptual (para quem duvida desta frase, vide Nada) e parecia ser o único capaz de adaptar para imagens uma história só com 5 personagens e um único cenário.

Por um lado conseguiu-o. Além de conseguir manter o interesse do espectador perante a limitação da história, Natali ainda consegue espremer da erva alta uma aura misteriosa e algo poética, algo que M. Night Shyamalan havia tentado em O Acontecimento e que se havia estatelado à grande. Afinal de contas, filmar o vento a soprar na erva e torna-lo assustador não é para qualquer um.

O problema de In the Tall Grass é que, na segunda metade, vai tentar explicar-se em demasia. E Stephen King tem sempre a tendência para exagerar na parte do misticismo. De repente, In the Tall Grass deixa de ser sobre aquelas cinco personagens perdidas no meio de um cenário tão marcante para o cinema clássico (e tanto que elas buscam a redenção, cada um à sua maneira) e passa a ser sobre um calhau gigante que ninguém percebe o que é. Fosse mais ao contrário e o Cheeseburger final teria outro sabor.

Título: In the Tall Grass
Realizador: Vincenzo Natali
Ano: 2019

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *