| CRÍTICAS | Vampiros no Bronx

Normalmente estamos habituados a ver o zombie flick a ser usado como metáfora para os grandes problemas do mundo moderno, mas existem outros sub-géneros do cinema de terror que também podem servir. É o caso do filme de vampiros, como vem provar a nova produção Netflix, Vampiros no Bronx.

Tal como Os Rapazes da Noite, Vampiros no Bronx é um teen movie sobre um grupo de jovens (Jaden Michael, Gerald Jones III e Gregory Diaz IV) que tem que travar o avanço de uma pandilha milenar de vampiros (liderados pela bela Sarah Gadon) sobre o seu bairro. Os vampiros utilizam a mais terrível das armas para conquistar o Bronx aos poucos e poucos: a especulação imobiliária. Escondidos por trás de uma agência imobiliária, vão comprando os imóveis todos a preço de saldo, ou eliminando os seus donos quando não querem vender, para construírem um ninho de sugadores de sangue onde ninguém os chateie.

Vampiros no Bronx é assim uma acutilante metáfora a esse grande perigo do mundo moderno, a gentrificação. Vampiros no Bronx critica a expulsão dos residentes em nome de uma evolução que não pode parar (e os norte-americanos são exímios nisso, cuja colonização da América do Norte se deu sob esse desígnio superior chamado… progresso), a invisibilização dos que não têm poder económico para fazer frente aos empreendedores desta vida (e que assim podem ser eliminados tranquilamente pelos vampiros, sem ninguém dar por falta deles) e, claro, o capitalismo galopante, que leva tudo à frente. E, depois, a metáfora vampiresca funciona na maravilha. Já cantava Zeca Afonso: eles comem tudo e não deixam nada.

Vampiros no Bronx não acrescenta nada de novo ao legado do cinema de vampiragem, porque apenas compila o que de melhor este lhe deixa: a agência imobiliária chama-se Murnau, em homenagem ao pioneiro desta coisa dos filmes de vampiros; os sugadores de sangue ficam com a cara toda chupadinha quando vão ao ataque, como na Buffy, Caçadora de Vampiros; e estes, quando morre, desfazem-se em cinzas, como em Blade. Vampiros no Bronx é pertinente, divertido e inteligente. Só é pena que os jovens actores sejam tão fradinhos. Mas chega perfeitamente para o McBacon.

Título: Vampires vs. the Bronx
Realizador: Oz Rodriguez
Ano: 2020

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *