| CRÍTICAS | Gloria Bell

Gloria Bell (Julianne Moore), divorciada e com dois filhos com vidas (semi)feitas, tem um emprego respeitável durante o dia numa seguradora e, à noite, gosta de ir curtir para a discoteca. Por vezes, engata um homem, mas apenas porque quer e pode. Isto não é um As Mil Luzes de Nova Iorque, não há aqui ninguém preso nos meandros de um daqueles vícios que à noite desperta com mais força.

O que Gloria gosta mesmo é de dançar e, por isso, Gloria Bell é mais um A Febre de Sábado à Noite do que outra coisa qualquer (e não deixa de ser curioso que o realizador, Sebastián Lelio, seja também chileno como o é o de Tony Manero, outro filme que utiliza esse filme de John Travolta como redenção). Só é pena é que a música tenha pouco impacto durante todo o filme. Até numa das suas principais cenas, já perto do final, em que Gloria tem um momento de catarse ao som de Total Eclipse of the Heart, a canção parece ser utilizada com vergonha.

Gloria Bell não tem propriamente uma história. É um filme a solo para Julianne Moore, o remake americano do filme que o próprio Sebastián Lelio já tinha feito no Chile, e o melhor é podermos ir tirando estas radiografias a essa personagem, que Julianne Moore habita com uma perna às costas, com aquele naturalismo que ela faz tão bem. E, como de costume, sem medo de se despir, independentemente de já não ter a idade daqueles corpos que, normalmente, habitam as primeiras páginas dos tablóides de Hollywood.

Gloria irá conhecer John Turturro na discoteca e começar uma relação de altos e baixos com esse homem, tão atrelado às filhas já adultas quanto com problemas de auto-estima e de controle, que vai ser o responsável pelo drama que vai ser injectado no filme. Há ainda os sub-enredos com os filhos de Gloria, mas também esses servem apenas para construir aquela mulher, que é o corpo central do filme e em redor do qual gravita Gloria Bell na sua totalidade. Fica apenas a faltar algum pathos, para que, quando acontece, a redenção final de Gloria seja realmente catártica. Assim, é apenas um Double Cheeseburger, muito à conta do tour de force de Julianne Moore.

Título: Gloria Bell
Realizador: Sebastián Lelio
Ano: 2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *