| CRÍTICAS | O Homem Invisível

Há que saudar a persistência da Universal em continuar a tentar ressuscitar o seu universo de monstros (os clássicos do cinema, o do Drácula, do Frankenstein ou do Lobisomem) ano após ano. E até mesmo por acreditar (ingenuamente, digo eu) que era possível criar um universo cinemático com eles. E, mesmo depois de mais um […]

| CRÍTICAS | Nós

Foi de forma um pouco inesperada e surpreendente que Foge aterrou com impacto em Hollywood. Não por ser um mau filme (não o é, apesar de um último acto desequilibrado), mas por ser um filme de género, que normalmente são mais dados a nichos do que às massas. Obviamente que houve a conjuntura social, com […]