| CRÍTICAS | Diamante Bruto

Todos os comediantes (ou, pelo menos, aqueles de que vale a pena mencionar) têm o seu filme sério, onde nos entregam um papelão (e um filmão) como quem “eu só faço palhaçada porque quero”. E Adam Sandler fez o seu logo em 2002, em Embriagado de Amor. Não que dizer que, de vez em quando, […]

| CRÍTICAS | The Meyerowitz Stories (New and Selected)

Agora que rebentou toda a história de Harvey Weinstein-predador sexual, é uma boa altura de falar do outro flagelo que o seu legado nos deixou: a autonomização do indie como um género próprio, trazendo para o mainstream uma certa forma alternativa de fazer cinema. Esse indiewood fez com que vários autores independentes entrassem também eles numa […]