| CRÍTICAS | Salve, César!

Desde o primeiro filme, Sangue por Sangue, que os irmãos Coen têm revelado o sem apreço pelos géneros clássicos de Hollywood. Nesse caso, era um neo-noir, mas quase 20 anos depois, com O Barbeiro, fariam o seu próprio film noir, a preto e branco e tudo, e mais recentemente experimentariam também o western, com Indomável. […]

| CRÍTICAS | O Fantástico Senhor Raposo

É capaz de não haver em toda a história do cinema um realizador com uma marca autoral tão vincada quanto Wes Anderson. Ao realizador norte-americano basta vermos a paleta de cores para identificarmos o filme, o seu formalismo mais formalista que os formalistas que vai contra todas as regras dos directores de fotografia ou aqueles planos […]