| CRÍTICAS | Black Water

É certo que existem duas sequelas do Máquinas de Guerra, mas ninguém lhes quer tocar nem com uma vara de 10 metros. Também existe Os Mercenários 2, mas esse nem sequer conta, porque não têm cenas propriamente juntos. Por isso, podemos dizer que Black Water é o tão ansiado filme que, 26 anos depois do […]

| CRÍTICAS | Máquinas de Guerra

Seguindo o sucesso dos homens-máquina de Exterminador Implacável e RoboCop, Jean-Claude Van Damme também experimentou o género no início dos anos 90. Se bem que, no seu caso, nunca percebemos muito bem até que ponto é humano ou não, porque a parte de ficção científica nunca é bem explicada – exceptuando qualquer coisa acerca da […]

| CRÍTICAS | Salve, César!

Desde o primeiro filme, Sangue por Sangue, que os irmãos Coen têm revelado o sem apreço pelos géneros clássicos de Hollywood. Nesse caso, era um neo-noir, mas quase 20 anos depois, com O Barbeiro, fariam o seu próprio film noir, a preto e branco e tudo, e mais recentemente experimentariam também o western, com Indomável. […]

| CRÍTICAS | Acerto de Contas

A estrutura narrativa de Crepúsculo dos Deuses é, possivelmente, uma das mais copiadas de toda a história do cinema clássico. Começa pelo fim, com um cadáver que narra a a sua própria morte, regressando em flashback ao início de tudo para nos contar o que se passou. Ou seja, já sabemos como acaba, só não […]

| CRÍTICAS | Joshua Tree – A Fúria de um Duro

O deserto de Joshua – local icónico da paisagem (física e cultural) dos Estados Unidos, com as suas típicas árvores de Josué, o amarelo deserto Mojave ou Vale da Morte, que tem influenciado artistas e discos ao longo dos anos (com os U2 à cabeça, claro). E muitos filmes. Especialmente maus filmes. Com este Joshua Tree […]