| CRÍTICAS | Máquinas de Guerra

Seguindo o sucesso dos homens-máquina de Exterminador Implacável e RoboCop, Jean-Claude Van Damme também experimentou o género no início dos anos 90. Se bem que, no seu caso, nunca percebemos muito bem até que ponto é humano ou não, porque a parte de ficção científica nunca é bem explicada – exceptuando qualquer coisa acerca da […]

| CRÍTICAS | Salve, César!

Desde o primeiro filme, Sangue por Sangue, que os irmãos Coen têm revelado o sem apreço pelos géneros clássicos de Hollywood. Nesse caso, era um neo-noir, mas quase 20 anos depois, com O Barbeiro, fariam o seu próprio film noir, a preto e branco e tudo, e mais recentemente experimentariam também o western, com Indomável. […]

| CRÍTICAS | Acerto de Contas

A estrutura narrativa de Crepúsculo dos Deuses é, possivelmente, uma das mais copiadas de toda a história do cinema clássico. Começa pelo fim, com um cadáver que narra a a sua própria morte, regressando em flashback ao início de tudo para nos contar o que se passou. Ou seja, já sabemos como acaba, só não […]

| CRÍTICAS | Joshua Tree – A Fúria de um Duro

O deserto de Joshua – local icónico da paisagem (física e cultural) dos Estados Unidos, com as suas típicas árvores de Josué, o amarelo deserto Mojave ou Vale da Morte, que tem influenciado artistas e discos ao longo dos anos (com os U2 à cabeça, claro). E muitos filmes. Especialmente maus filmes. Com este Joshua Tree […]